Categoria:Temporada 1972

De CruzeiroPédia .:. A História do Cruzeiro Esporte Clube
(Redirecionado de 1972)
Ir para: navegação, pesquisa
← Temporada 1971 Icone-Calendario.png Temporada 1973 →

Histórico

Volta ao Mundo em 70 Dias

Sem realizar um treino sequer, devido às férias, o Cruzeiro Exportação partiu para a primeira de suas maiores viagens pelo exterior. O time estrelado atuou pela primeira vez na Oceania, Ásia e América do Norte. Foram 70 dias fora do Brasil, onde disputou 18 amistosos, que renderam quase um milhão de cruzeiros ao clube. As partidas foram assistidas por chefes de estado e a delegação cruzeirense muitas vezes foi convidada para almoços nas embaixadas brasileiras.[1]

Eduardo, com seus "dribles da vaca", foi chamado de "encarnação de Garrincha", e Tostão, aclamado em todos os países como o "Rei Branco", já que Pelé era o Rei Negro. A excursão causou uma baixa importante: a saída de Tostão. A notícia de que a diretoria havia firmado contrato com o técnico Yustrich e que Orlando Fantoni seria dispensado no retorno ao Brasil, sob o argumento de que o novo treinador iria impor o que faltava ao time - a disciplina -, deixou o "Rei Branco" inconformado.[1]

Vai Tostão, Volta Raul

O técnico Yustrich havia assinado contrato como novo treinador do Cruzeiro em 16 de fevereiro, mas a delegação estrelada só tomou conhecimento do fato no dia 7 de março, quando estava na Tailândia. Imediatamente, Tostão convocou a imprensa no hotel e anunciou sua saída do Cruzeiro.[1]

Por outro lado, o goleiro Raul, que havia ganho o passe livre na justiça, em 11 de fevereiro, resolveu permanecer no Cruzeiro por causa dos métodos de Yustrich, que era o único do Brasil que fazia treinos específicos para os goleiros. Assim acreditava que voltaria à Seleção Brasileira.[1]

Lesão de Dirceu Lopes

Após enfrentar temperaturas altíssimas de 40°C em Manila, Filipinas, o elenco do Cruzeiro teve que enfrentar temperaturas baixas abaixo de 10°C na China. Esta variação de temperatura fez com que Dirceu Lopes sentisse a musculatura e ficasse fora por muito tempo.

Ele quis voltar para o Brasil mas foi convencido para continuar com o elenco e foi submetido a um tratamento por um médico chinês que o colocou de volta às atividades em apenas 2 semanas. Com a falta de confiança pela lesão, chegaram a chamá-lo de enganação em locais onde passou até o jogo no Iran, contra o Persépolis.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 RIBEIRO, Henrique. Almanaque do Cruzeiro. Páginas: 136-137.

Subcategorias

Esta categoria possui as seguintes 4 subcategorias, de um total de 4.

Páginas na categoria "Temporada 1972"

As seguintes 50 páginas pertencem a esta categoria, de um total de 50.

1